Ibitinga, Sexta, 16 de Novembro de 2018
Associação Mulher Unimed segue como os Projetos Vida Iluminada Luminar (Jovem Aprendiz)
Projeto Jovem Aprendiz permite um futuro melhor para os alunos. Aprendizado sobre profissões e educação moral estão incluídos no currículo

   Associação Mulher Unimed é uma entidade não governamental de responsabilidade social e possui programas que colaboram na inclusão das pessoas portadoras de deficiência visual e também oferece a possibilidade de inserção de jovens no mercado de trabalho atual.

  A entidade mantém o Projeto Vida Iluminada que tem como objetivo principal oferecer e auxiliar de forma positiva, através da capacitação o portador de deficiência visual aumentando a sua auto-estima e viabilizando o exercício de todos os direitos relativos aos cidadãos que possuem essa dificuldade, bem como de seus familiares.

  O programa presta assistência gratuita aos deficientes visuais que são, semanalmente, acompanhados por psicóloga, fonoaudióloga, pedagogas e oftalmologistas contando também com a colaboração de profissionais voluntários de outras áreas de especialidade.

Essas ações tem como prioridade mostrar tudo o que o deficiente visual pode fazer e promover sua inclusão no meio social. Por isso, promove cursos como o de alfabetização em Braille informática adaptada e música e viabiliza através de parcerias curso de dança e  pintura, dentre outros.

  Mas a preocupação do programa em prevenir começa desde cedo, já que através do Teste do Reflexo Vermelho implantado nos hospitais e maternidades da cidade é possível detectar possíveis problemas oculares logo ao nascer.

  Outro projeto da associação é o Projeto Luminar que já está em sua terceira turma. O curso é voltado para os adolescentes em situação de vulnerabilidade, e tem o intuito de promover o desenvolvimento de  bases sólidas de ética, cidadania e valores sociais em relação aos jovens. As atividades de auxiliar administrativo são ensinadas para integrá-lo no mercado de trabalho, sendo que o jovem aprende a conciliar os estudos com o trabalho.

   A maior dificuldade encontrada pela instituição  é  conseguir a participação das empresas por meio da disponibilização de vagas de emprego para  o jovem aprendiz. O projeto conta com a colaboração das empresas para abrir as portas para que os jovens trabalhem por meio período conciliando as atividades que aprendem no cotidiano., dessa forma estas empresas  poderiam contribuir  muito para o desenvolvimento pessoal do jovem, fazendo com que ele desenvolva capacidade de raciocínio, organização, trabalho em grupo e etc. Para a vice presidente da associação, Luciani Marconi Caeteno Martins Sgarbi, esta é uma oportunidade de resgatar uma divida histórica que a sociedade tem em relação às nossas crianças e adolescentes  que sempre foram inseridos precocemente no mercado de trabalho infantil sem qualquer garantia aos seus direitos. Outro fator decisivo na área empresarial é a atividade que o aprendiz irá exercer na empresa, pois o projeto visa funções que enriqueçam o conteúdo do jovem, excluindo assim funções mecânicas, e valorizando atividades que associem aprendizagem e trabalho.

  Os jovens que freqüentam o curso, que tem duração de um ano e dois meses, possuem faixa etária compreendida entre 15 e 17 anos e devem estar regularmente matriculado no ensino médio da escada pública ou tê-lo concluído.  Para a presidente da associação, toda a sociedade ganha com a ajuda prestada aos jovens “ Começar a pensar nos problemas sociais como um todo e poder transformar a vida de algumas destas pessoas, muda de certa forma o cenário em que vivemos. Ensinar para alguém boas maneiras e dar a eles ferramentas para terem pensamentos  corretos,  eliminamos consideravelmente os desvios de condutas, erro  freqüente  de muitos jovens da sociedade atual” comenta Dra Suzete Maia Seino Kalil Issa.

Capital Humano.

  Considerando que o mundo contemporâneo é regido pela tecnologia e rapidez, a maioria das atividades limitam e absorvem muito tempo das pessoas, por isso, o trabalho voluntário é considerado por muitos como algo fora de questão, isto por que , atualmente, o tempo tem grande valor econômico. Assim, são raras as pessoas que  se dispõe a partilhar com o próximo algo que possa agregar valores e conhecimento. Entretanto, o importante é que os  profissionais que se dedicam à Associação sabem que o trabalho voluntário  é uma via de  mão dupla,  afirma Luciani “ao disponibilizarem  seus talentos, os voluntários têm  um retorno inestimável, posto que acabam aprendendo muito em contato com os adolescentes.”

 

comentários
Folha de Ibitinga
Conheça um pouco mais sobre nós.

leia mais
redes sociais Acompanhe-nos em nossas redes sociais.
whatsapp (16) 98135-4546

Todos os direitos reservados © Folha de Ibitinga 2018 - contato@folhadeibitinga.com.br - telefone: (16) 98135-4546