Ibitinga, Quinta, 22 de Novembro de 2018
GPS Caipira é oficialmente lançado em Ibitinga
Fruto da parceria entre o Sindicato Rural, a Prefeitura Municipal e as Polícias Civil e Militar, o sistema de georreferenciamento das estradas rurais do município vai facilitar o patrulhamento e

   Na última quarta-feira, dia 20 de abril, foi oficialmente lançado em Ibitinga, o sistema de “Georreferenciamento das Estradas Rurais e Emplacamento das Propriedades Rurais”, projeto apelidado de “GPS Caipira”, realizado em parceria pelo Sindicato Rural de Ibitinga e extensão de base em Tabatinga, pela Prefeitura Municipal, pelas Polícias Civil e Militar e pelo Corpo de Bombeiros, além do Serviço Autônomo Municipal da Saúde, o Pronto Socorro Municipal – SAMU. 

  A iniciativa partiu do Sindicato Rural, que identificou junto às Polícias Militar e Civil a dificuldade de deslocamento e localização na área rural, principal-mente devido às mudanças na paisagem rural do município em função da cana-de-açúcar, que retira divisas de cercas. “Muitas vezes carreadores são confundidos com estradas, além disso, a mudança no quadro efetivo de policiais, que desconhecem as estradas rurais, também compromete a agilidade no atendimento as ocorrências, por isso, o Sindicato sugeriu o projeto ao prefeito, Florisvaldo Fiorentino, que o acolheu prontamente”, explica o presidente da entidade, Frauzo Sanches.

  “Fomos procurados pelo presidente do Sindicato Rural, que trazia diversas reivindicações voltadas à segurança pública da área rural, momento em que expusemos a grande dificuldade da Policial Militar de se deslocar para as diversas propriedades na extensa área rural da 5ª Companhia, devido à falta de conhecimento geográfico. Foi quando ele comentou a experiência positiva realizada pelo Conselho de Segurança Rural da área de Bauru e pudemos apoiar fazendo contato com os responsáveis pela implementação e aproximando todas as partes interessadas. Demos total apoio a esse trabalho, que beneficia a inclusão social e a Segurança Pública, ampliando o conhecimento geográfico da extensão rural da região, com quase 100% das localizações de propriedades rurais”, pontua o capitão da PM, Ricardo Domingos Júnior.

  A Prefeitura Municipal ficou responsável pela execução do projeto, que custou em torno de R$ 61 mil com o cadastro dos proprietários, colocação das placas de identificação de todas as propriedades cadastradas, aquisição do equipamento de GPS e a compra do programa que integra o projeto. Foram cadastradas 888 propriedades rurais e o trabalho levou cerca de seis meses. “O objetivo desse projeto é levar mais segurança à área rural, por isso, as propriedades não cadastradas devem procurar a Secretaria Municipal de Segurança Pública, com urgência, para conclusão dos cadastros. Esperamos com o GPS Caipira diminuir a prática de crimes na área rural, como furtos, abate de animais, entre outros. Com os equipamentos de GPS e a precisão que eles oferecem, o atendimento será mais rápido e eficaz”, afirma o prefeito municipal, Florisvaldo Fiorentino.

Tecnologia a favor da segurança

  A ideia do georreferenciamento das estradas rurais surgiu em 2011, mas a única empresa a se apresentar foi uma de São Paulo com uma proposta de orçamento que inviabilizou a execução do trabalho. “No ano passado, soubemos de uma empresa que havia iniciado projeto semelhante em Marília, buscamos informações e, final-mente, conseguimos tirar a ideia do papel”, conta Frauzo.  Foram várias reuniões em que participaram também o 1° Tenente, Lúdio Eduardo Veludo, o delegado Carlos Ocon de Oliveira e o vereador Gumercindo Rossati Benardi, até a aprovação da proposta pela prefeitura, que se deu no dia 19 de janeiro de 2015. 

  O projeto consiste em um mapeamento, feito através do sistema de georreferenciamento via satélite e de visitas locais, para levantamento de dados de todas as estradas rurais e propriedades do município. Ibitinga possui mais de 700 km de estradas rurais e quase 100% das propriedades foram cadastradas.  Além de georrefenciar as estradas, o GPS Caipira também dará a localização de pontes, mata-burros, curvas, igrejas e demais pontos nas estradas rurais, que serão anunciados por voz assim como no GPS de navegação urbana. As informações estarão disponíveis em aparelhos GPS sob a responsabilidade da Prefeitura, do Corpo de Bombeiros, do SAMU e das Polícias Civil e Militar.

  O sistema deve facilitar o trabalho não só da Polícia e do Corpo de Bombeiros, SAMU como da própria prefeitura, garantindo maior segurança para a comunidade rural. “Será para o benefício de todos. Esperamos, a exemplo de Ibitinga, envolver as autoridades e entidades de Tabatinga também para a implantação do sistema no município, possibilitando que a Ronda Rural de lá volte a funcionar de forma efetiva”, enfatizou Frauzo.

 Ronda Rural

  Em 2002 o Sindicato Rural doou uma viatura para a PM de Ibitinga e, em 2003, outra para a PM de Tabatinga para dar início às atividades do Programa Ronda Rural em ambos os municípios. “Infelizmente com mudanças nos co-mandos locais e estaduais, em alguns momentos, o programa foi colocado em segundo plano, entretanto, no início, foi considerado uma iniciativa excelente, que levou a sensação efetiva de segurança aos moradores e proprietários rurais, chegando a resultar em prisões”, conta o diretor e idealizador do programa, em sua gestão como presidente da entidade, Carlos Vilela.

   Desde a implantação da Ronda Rural, o Sindicato trabalha para a viabilização do programa, tanto dando apoio financeiro para a sua implantação como cobrando as autoridades competentes para a sua continuidade. “Neste momento, com a implantação do GPS Caipira, damos uma nova contribuição, em parceria com a prefeitura e as Polícias Civil e Militar, para que o programa volte a funcionar como no início, gerando segurança efetiva às pessoas que vivem, trabalham ou possuem propriedades rurais”, destaca o diretor. Com o sistema, segundo capitão Ricardo, a PM poderá realizar um trabalho muito mais eficiente, com planejamento e estratégia de combate aos atos ilícitos que vêm ocorrendo na área rural. “É fato que só a Polícia Militar não resolverá todos os problemas, porém, com o apoio de outros órgãos, principalmente, com a participação da população rural, por meio de Audiências Públicas Rurais e contato direto nas propriedades rurais, diminuiremos os ilícitos e aumentaremos a sensação de segurança”, conclui o capitão da PM.

comentários
Folha de Ibitinga
Conheça um pouco mais sobre nós.

leia mais
redes sociais Acompanhe-nos em nossas redes sociais.
whatsapp (16) 98135-4546

Todos os direitos reservados © Folha de Ibitinga 2018 - contato@folhadeibitinga.com.br - telefone: (16) 98135-4546