Ibitinga, Segunda, 16 de Julho de 2018
Setembro vai ter muita chuva, mas não para todos
Região Sul, Mato Grosso do Sul e parte do Sudeste terão volumes acima do esperado

  A chuva retorna para o centro do Brasil a partir de setembro. No entanto, a maior quantidade de água ainda vai cair sobre o Sul. As chuvas vão ficar acima da média nos três estados da região, a exemplo do que aconteceu em agosto.

  Além do Sul, vai chover acima da média em Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, sul do Espírito Santo, sul e leste de Minas Gerais, sudoeste de Mato Grosso, sul e oeste de Rondônia, Acre e sudoeste do Amazonas.

  Por outro lado, o Nordeste deverá passar por mais um mês com chuva abaixo da média, como vem sendo observado desde meados do outono. As instabilidades só retornam para a região do Matopiba a partir de novembro, e o verão promete ser bem mais satisfatório em relação aos volumes de chuva do que no ano passado.

  “As condições para o Nordeste não serão as ideais, mas bem melhores do que nas últimas duas safras”, afirma Desirée Brandt, da Somar Meteorologia.

Em relação à temperatura, as mínimas e as máximas vão ficar acima da média em boa parte do Brasil. As exceções ficam por conta do Tocantins, Bahia, leste do Nordeste e noroeste do Amazonas, onde a temperatura ficará próxima da média.

No Sul, apesar da previsão de temperatura acima da média, alerta-se para a possibilidade de frio tardio no início da segunda quinzena de setembro.

Agosto

  Em agosto, a umidade da Amazônia passou a ser distribuída para outras áreas do país mais cedo do que o normal. Assim, as chuvas passaram a ser mais frequentes entre o Sul, Centro-Oeste e parte do Sudeste.

  É por isso que choveu acima da média do norte do Rio Grande do Sul ao Paraná, em grande parte do Centro-Oeste, em São Paulo, no oeste e sul de Minas Gerais e também no sudeste do Amazonas e norte de Rondônia.

  Além disso, a presença de umidade do mar e a ação de frentes frias na costa organizaram chuvas de elevado acumulado no leste da Bahia, gerando acumulados bem acima do normal no Recôncavo baiano.

  A cidade com maior acumulado de chuva no País foi Maraú, leste da Bahia, com 377 milímetros (269% acima da média). Já as chuvas ficaram abaixo da média no norte de Roraima, no Rio Grande do Sul e no leste do Nordeste.

  Com relação às temperaturas, em agosto as noites e madrugadas foram mais quentes que o normal no Paraná, Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal, norte de Mato Grosso, interior da Bahia, Maranhão, sul do Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e região Norte.

  Nas demais áreas, a mínima ficou entre o normal e um pouco abaixo da média. As tardes foram mais quentes que o normal na maior parte do Brasil. Somente entre Santa Catarina e Paraná, as tardes ficaram próximas da média climatológica.

Pryscilla Paiva, editora de Tempo do Canal Rural

comentários
Folha de Ibitinga
Conheça um pouco mais sobre nós.

leia mais
redes sociais Acompanhe-nos em nossas redes sociais.
whatsapp (16) 98135-4546

Todos os direitos reservados © Folha de Ibitinga 2018 - contato@folhadeibitinga.com.br - telefone: (16) 98135-4546