Ibitinga, Sábado, 17 de Novembro de 2018
Médica Geriatra explica sobre o envelhecimento e a perda da memória
Médica ibitinguense formada pela USP-SP explica sobre a importância de se realizar uma avaliação com médico geriatra, e como identificar indícios de problemas na memória, o que ne

  Os cuidados com a saúde são peculiares conforme a idade, além de cada indivíduo possuir características distintas, cada estágio da vida requer cuidados específicos. Por isso, na geriatria o cuidado é individualizado e requer medidas e tratamento diferente para cada paciente. Proporcionalmente a expectativa de vida, essa especialidade vem crescendo cada vez mais. No mês de março, a ibitinguense Dra. Luana Vergian Storniolo, Geriatra, iniciou os atendimentos em Ibitinga na Clínica SIM (próximo a FAIBI).

    Graduada pela Faculdade Estadual de Medicina de Marília (FAMEMA), e especialista em Geriatria e Clínica Médica pela Universidade de São Paulo (USP-SP), Dra. Luana falou em uma entrevista algumas particularidades da Geriatria. A médica especialista explicou a importância de um envelhecimento saudável, com qualidade de vida, independência, além da identificação precoce de doenças. Comentou também sobre mitos que rondam o mal de Alzheimer.

Folha de Ibitinga: O que é Geriatria?

Dra Luana Storniolo: Geriatria é uma especialidade médica que tem como objetivo cuidar do idoso, ou seja, aquele com idade acima de 60 anos. A geriatria tem o foco no envelhecimento saudável, com qualidade de vida e independência; prevenir doenças que possam surgir com a idade, identificá-las e tratá-las.

Folha de Ibitinga: Quais são os requisitos necessários para o profissional ser um especialista em Geriatria?

Dra Luana Storniolo: O profissional tem que ser médico, ou seja, ter cursado faculdade de medicina, e além disso, ter feito residência médica credenciada pela CNRM (Comissão Nacional de Residência Médica): dois anos de especialidade em clínica médica, e mais dois anos em Geriatria, ou passar no concurso da SBGG (Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia) para obter o título de especialista.

Folha de Ibitinga: E qual é a diferença entre um Geriatra e um Clínico Geral?

Dra Luana Storniolo: Geriatra é especialista em idoso, que na maioria das vezes tem três ou mais doenças, e usa três ou mais medicações. Uma medicação para tratar determinada doença pode atrapalhar o tratamento da outra, e muitas medicações indicadas para adultos são contra-indicadas para idosos. O geriatra gerencia as doenças, as medicações, e tem um olhar amplo, não sendo o foco só na doença, e sim no indivíduo, ou seja, o cuidado se estende para o âmbito mental, social, levando em conta o contexto em que vive aquele idoso. O objetivo é que o paciente seja independente, faça as suas funções do dia a dia sozinho, e tenha um envelhecimento saudável com qualidade de vida. Também cuida de “doenças” específicas do idoso como quedas, imobilidade, fragilidade, problemas de memória, dentre outras.

Folha de Ibitinga: Com qual idade o paciente pode procurar um Geriatra?

Dra Luana Storniolo: Não tem uma idade específica, o quanto antes melhor, tendo assim um tempo hábil para promover a saúde e um envelhecimento saudável.

Folha de Ibitinga: Existe algo que se possa fazer para evitar o surgimento de doenças em idosos, ou nas pessoas em modo geral?

Dra Luana Storniolo: Os hábitos sem dúvida influenciam. Ter hábitos de vida saudáveis nos ajudam a prevenir várias doenças, como hipertensão, diabetes, até doença de Alzheimer e problemas de memória. Qual é a fórmula? Ter uma alimentação saudável, praticar atividade física, manter sempre a mente ativa, praticar a leitura, ter bons relacionamentos sociais, entre outras. 

Folha de Ibitinga: E quais são as doenças mais comuns nos idosos?

Dra Luana Storniolo: São as doenças crônicas que a população já conhece bem, como colesterol, hipertensão, diabetes, insuficiência cardíaca, e também a artrose, osteoporose e depressão são muito comuns.  Não podemos deixar de citar os problemas de memória, como a doença de Alzheimer.

Folha de Ibitinga: Sobre a memória, como perceber o declínio e identificar se está relacionado com o mal de Alzheimer, por exemplo?

Dra Luana Storniolo: Um familiar que convive com o idoso, e conhece bem aquela pessoa, pode perceber algo errado nas tarefas simples, como por exemplo, esquecer o fogo aceso, não se lembrar de recados, perguntar várias vezes a mesma coisa, ter dificuldades para novos aprendizados, dentre outros. Também não se lembrar mais de pessoas, ou de locais que antes frequentava, isso tudo pode ser indício de algum problema de memória. Mas nem todo problema de memória é doença de Alzheimer. Existe o declínio normal do envelhecimento, além de muitas outras doenças que podem causar o problema. O geriatra é treinado para identificar isto, no decorrer do acompanhamento.

Folha de Ibitinga: Considerações finais

Dra Luana Storniolo: É importante lembrarmos que colhemos o que plantamos, então vamos plantar coisas boas em nossa saúde para que o envelhecimento possa ser com qualidade de vida e saudável. Devemos sempre pensar como pretendemos estar em alguns anos, e viver bem é uma das coisas mais importantes.

comentários
Folha de Ibitinga
Conheça um pouco mais sobre nós.

leia mais
redes sociais Acompanhe-nos em nossas redes sociais.
whatsapp (16) 98135-4546

Todos os direitos reservados © Folha de Ibitinga 2018 - contato@folhadeibitinga.com.br - telefone: (16) 98135-4546