Ibitinga, Terça, 20 de Novembro de 2018
Estabilidade no mercado do boi gordo causa preocupação aos pecuaristas
Em São Paulo na primeira quinzena de setembro, a arroba do boi gordo chegou a R$ 144,50 e a margem de comercialização dos frigoríficos que era de 40% passou para 20%

  Entre altos e baixos, nas primeiras semanas de setembro, o mercado do boi gordo apresentou estabilidade em relação ao seu preço, trazendo grandes preocupações para os pecuaristas.  Para alguns especialistas essa produção está lenta e pode diminuir a necessidade de compra. Segundo a Scot Consultoria em São Paulo na primeira quinzena desse mês, a arroba do boi gordo chegou a R$ 144,50, o que não é tão positivo por ter diminuído. Mesmo com os preços baixos em São Paulo, em outras regiões como o Rio de Janeiro, a cotação subiu, um exemplo disso, é que no mercado atacadista de carne bovina com osso, o boi casado de bovinos castrados está sendo cotado por R$9,78/kg.

  De acordo com as informações fornecidas pela Scot Consultoria, o mercado do boi gordo perdeu força, mas em outras praças, a oferta de compra continua firme. Esse relato pode ser atribuído a redução de comercialização do frigorífico, que caiu cerca de 50% nos últimos dois meses.

  O analista da Scot consultoria, Alex Santos Lopes, informou para diversos veículos de comunicação como o Canal Rural, Notícias Agrícolas, entre outros, que a margem de comercialização dos frigoríficos era de 40% passou para 20%. Em São Paulo, as escalas médias estão entre 4 a 5 dias,  suficientes para atender a uma demanda imediata.

  O pecuarista e associado do Sindicato Rural, Nairo Miguel, afirmou que nessas últimas semanas os preços se estabilizaram e que infelizmente a venda diminuiu um pouco. “Hoje o valor está entre R$ 143,00 a R$ 148,00 a arroba e uma das principais questões é que o boi de confinamento está saindo as primeiras remessas, e isso faz com que aumente um pouco da oferta. Devido a margem de lucro dos frigoríficos terem caído, e a venda travar, a melhor opção foi manter os preços nesses patamares”, explicou Nairo.

 Segundo o pecuarista e associado   do Sindicato Rural, Antônio Pacola, os preços se estabilizaram o que não é positivo para os pecuaristas, pois os frigoríficos diminuíram os preços, porém os gastos com a produção,  ração e todo o investimento, que os pecuaristas têm continua com um valor alto.

  Divulgado pelo Canal Rural e entre outros veículos, a Isabela Camargo, analista da Scot Consultoria enfatizou que no dia 15 de setembro, o cenário dos frigoríficos fora das compras ganhou força, porém houve queda nos preços da arroba na maioria das praças. Isabela alertou que os pecuaristas devem agir com cautela diante dessas mudanças.

comentários
Folha de Ibitinga
Conheça um pouco mais sobre nós.

leia mais
redes sociais Acompanhe-nos em nossas redes sociais.
whatsapp (16) 98135-4546

Todos os direitos reservados © Folha de Ibitinga 2018 - contato@folhadeibitinga.com.br - telefone: (16) 98135-4546