Ibitinga, Quarta, 17 de Outubro de 2018
Taxa de mortalidade Infantil em Ibitinga subiu 66,35 % em um ano
Índice apurado pelo Governo Estadual já foi informado pela DRS. Para amenizar o problema a Santa Casa de Maternidade de Ibitinga contratou 5 médicos para melhorar o acompanhamento das gestant

Um estudo divulgado no último dia 04, pela Fundação Seade (Fundação de Sistema Estadual de Análise de Dados), revelou que a taxa de mortalidade infantil no município de Ibitinga saltou de um índice de 10,4 em 2015 para 17,3 em 2016; um aumento de 66,35%. A taxa do estado é 10,9 óbitos por mil nascidos vivos, muito abaixo da taxa registrada em Ibitinga.

   Os dados são do Seade, que é ligado a Secretaria de Planejamento e Gestão do Estado de São Paulo, e compilou os dados com base nos dados dos Cartórios de Registro Civil de todos os municípios paulistas.

  Os números de 2017 poderão ser melhores, acredita o Interventor da Santa Casa e Maternidade de Ibitinga, Dr. Edson Fernando Inácio. “Esse ano, estamos com a campanha em relação aos recém nascidos. Na Santa Casa já foram contratados mais um pediatra, e quatro obstetras, que já estão trabalhando para reduzir estes itens”, explicou Fernando Inácio. Para ele, a possível dificuldade de contratação pode ter alavancado o índice, porém, ele não se atreve a analisar os dados referentes a administração passada.

   “Fomos informados destes números pela DRS [Departamento Regional de Saúde] e essa administração está trabalhando para reduzir este índice. Através do Ambulatório da Santa Casa, contratamos um médico  pediatra e mais quatro médicos obstetras, além de estarmos fazendo um melhor estudo de controle junto ao SAMS para reduzir este índice”, explicou. Ainda, Edson informou que está acontecendo palestras e treina-mentos para os funcionários da Santa Casa com mais frequência, para melhorar o acompanhamento das gestantes.

  A taxa de mortalidade infantil, que relaciona as mortes ocorridas entre crianças menores de um ano com o número de nascidos vivos em determinado momento do tempo, é um dos indicadores mais utilizados para aferir as condições de vida da população, em especial aquelas relacionadas à saúde. Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), a  Taxa de Mortalidade Infantil é um dos principais indicadores das ações na área da saúde pública. Por meio dela, é possível refletir e avaliar não apenas a saúde infantil, mas as condições de vida de uma população.

 

Taxa de Mortalidade Infantil por Ano

2004: 07 óbitos, tx 11,2

2005: 14 óbitos, tx 21,8

2006: 13 óbitos, tx 21,3

2007: 11 óbitos,  tx 17,1

2008:  05 óbitos, tx 7,5

2009:  11 óbitos, tx 16,5

2010:  18 óbitos, tx  25,4

2011:  12 óbitos, tx 19,0

2012:  10 óbitos, tx 13,9

2013:  10 óbitos, tx 11,4

2014:  09 óbitos, tx 12,2

2015:  08 óbitos, tx 10,4

2016 : 12 óbitos, tx  17,3

comentários
Folha de Ibitinga
Conheça um pouco mais sobre nós.

leia mais
redes sociais Acompanhe-nos em nossas redes sociais.
whatsapp (16) 98135-4546

Todos os direitos reservados © Folha de Ibitinga 2018 - contato@folhadeibitinga.com.br - telefone: (16) 98135-4546